Saúde de São Paulo lança Norma Técnica sobre Influenza Pandêmica H1N1 2009

Centro de Vigilância Epidemiológica “Prof. Alexandre Vranjac”, da Coordenadoria de Controle de Doenças da Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo lançou na última semana a Norma Técnica sobre Influenza Pandêmica H1N1 2009. Veja a seguir o texto de apresentação do documento e o conteúdo descrito no sumário; o link para baixar a Norma está no rodapé da página.

Apresentação

A emergência do vírus influenza pandêmico A (H1N1) 2009 e posterior disseminação global despertou precocemente na comunidade científica questões importantes sobre a disseminação e a transmissão da doença, aliadas às incertezas sobre a gravidade, complicações clínicas, fatores de risco, efetividade do tratamento antiviral e medidas de controle adotadas.

A evolução da pandemia variou entre os diferentes países, assim como as intervenções. De forma geral, a pandemia de influenza em 2009 caracterizou-se pela predominância de casos leves a moderados e com letalidade baixa.

Com base na literatura disponível, a influenza pandêmica H1N1 tem características similares às da influenza sazonal em termos de apresentação clínica e transmissão intradomiciliar, porém muitas lacunas ainda existem sobre os aspectos epidemiológicos e virológicos do vírus influenza A(H1N1) 2009 e co-circulação com os da influenza sazonal na comunidade.

Frente a possibilidade de recrudescimento de casos de influenza pandêmica H1N1 2009 na presente sazonalidade no Hemisfério Sul e de acordo com as diretrizes internacionais e nacional, o Centro de Vigilância Epidemiológica da Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo, em parceria com a Coordenadoria de Controle de Doenças, Instituto Adolfo Lutz, Centro de Vigilância Sanitária e demais coordenadorias, orientou a revisão e atualização da instrução normativa estadual, no sentido de adequação à situação epidemiológica vigente.

O objetivo desta é divulgar as ações referentes ao manejo clínico, diagnóstico e tratamento adequados dos casos suspeitos e confirmados de influenza pandêmica H1N1, a vigilância epidemiológica integrada da influenza no Estado, com ênfase nas situações de risco, notadamente os casos de Síndrome Respiratória Aguda Grave e de surtos de síndrome gripal em comunidades restritas.

Por fim, espera-se que esta instrução normativa venha agregar os setores envolvidos numa resposta conjunta e consistente, no sentido da garantia e sustentatibilidade das ações nela preconizadas.

São Paulo, 18 de junho de 2010.

Ana Freitas Ribeiro
Diretora Técnica / CVE-SES/SP


web stats analysis



Site Meter

Sobre Jaleco Vida
Vestimenta de Segurança contra risco biológico confeccionada com tecido tecnológico bacteriostático e utilizada como barreira corporal biológica e física em hospitais, laboratórios, fábricas, restaurantes, entre outros. Inibe proliferação de bactérias trazendo mais segurança a pacientes e profissionais da saúde. Possui modelagem confortável, e é indicada para profissionais que trabalhem em ambiente de risco biológico, ou seja, com probabilidade de exposição ocupacional a agentes biológicos. Entende-se por serviços de saúde qualquer edificação destinada à prestação de assistência à saúde da população, e todas as ações de promoção, recuperação, assistência, pesquisa e ensino em saúde em qualquer nível de complexidade.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: